Ferramentas do usuário

Ferramentas do site


openshot

OpenShot

O OpenShot é um editor de vídeos para o Linux que almeja ser simples, poderoso e ainda “o melhor editor de vídeos de código aberto”. A versão 1.4.1, que saiu no dia 29 de janeiro de 2012, deixou o programa um pouco mais perto desse objetivo. Dentre as novidades, temos um tema para a interface, suporte à adição de mais de um clipe simultaneamente, novas animações 3D e um assistente para carregar vídeos diretamente para o YouTube e o Vimeo.

O desenvolvimento do OpenShot é liderado por Jonathan Thomas, um desenvolvedor de software e desenvolvedor Web que experimentou o Ubuntu Linux pela primeira vez em 2008 e não encontrou editores de vídeos fáceis de usar, poderosos e estáveis. Tomas começou com a mexer com Python, com o Media Lovin' Toolkit, e depois partiu para a criação de um editor fácil de usar, poderoso e estável: o OpenShot.

Nossa meta para OpenShot sempre foi o de criar o mais completo editor de vídeo, simples e flexíveis disponíveis no Linux. Este lançamento dá mais um passo para esse objetivo nobre, e é a melhor versão do OpenShot criado ainda! Além disso, eu quero dizer “Obrigado” a todas as pessoas que fazem este projeto possível: Olivier Girard, Andy Finch, Maël Lavault, todos os repórteres bug, tradutores, empacotadores, usuários e fãs!

Instalação

A versão 1.4.0-1 está disponível nos repositórios do Linux Mint e sua instalação se dá assim:

Aplicativos, Outros, Synaptic, na caixa de pesquisa, digita-se openshot clicar com o direito do mouse e marcar para instalação.

Ou abra o terminal e digite:

sudo apt-get update ; sudo apt-get install openshot

<note important>Este aplicativo encontra-se nos repositórios oficiais do Linux Mint</note>

Interface e Recursos

O OpenShot tem uma interface muito simples. O canto esquerdo apresenta um grupo de guias para arquivos, transições, efeitos e histórico. A guia de arquivos abriga todos os clipes (fotos, vídeos e áudio) usados para criar vídeos. Os efeitos são filtros para modificar áudio, fotos ou vídeos. Eles podem ser usados para dar um tom sépia a um clipe, ou apara aplicar eco ao áudio, por exemplo. As transições, como era de se esperar, servem para cuidar da transição de um vídeo para o outro. O OpenShot inclui desde transições simples, dissolvendo a imagem ou fazendo o efeito de relógio girando, até coisas mais elaboradas, como usando estrelas ou fractais.

No lado direito, em cima, temos a visualização de vídeo, e na parte de baixo fica a linha do tempo, mostrando clipes que foram integrados para formar o vídeo a partir dos arquivos de projeto, organizados por faixa e arquivo, e uma pequena seleção de ferramentas para manipulação de clipes.

É bem fácil começar a usar o programa. Arraste uns clipes de vídeos, fotos e arquivos de som para a guia de arquivos do projeto, e dali arraste-os na ordem que quiser para o painel de clipes. Para projetos muito simples, que envolvam apenas uns poucos clipes e músicas, é possível aprontar algo em dez minutos, mesmo se você nunca tiver usado o OpenShot. O trabalho é salvo automaticamente.

O diálogo de exportação é simplificado, facilitando o uso. Trata-se de uma caixa de diálogo intuitiva quando usamos a guia Simples, mas a guia Avançado abre todo tipo de opção que se pode querer na hora de exportar um projeto. Na guia Simples, constam as opções Blu-Ray, DVD, Dispositivo ou Web. Blu-Ray e DVD englobam várias opções razoáveis para esses formatos, enquanto Dispositivo tem predefinições para Xbox 360, Apple TV e Nokia nHD. A predefinição Web inclui Wikipedia (Ogg Theora), FlickrHD e mais algumas opções para Vimeo e YouTube. A guia Avançado tem tudo o que a maioria dos usuários pode querer. Certamente há mais do que os usuários domésticos vão precisar para editar vídeos das férias da família ou dos animais de estimação. Talvez faltem as opções que os profissionais procuram, mas certamente é um bom começo.

www.hardware.com.br_static_20110311_openshot-export-2.png.optimized.jpg

A versão 1.4.1 também simplifica a organização e a localização de arquivos. Como eu só estava trabalhando com uns dez arquivos de cada vez, não tive dificuldades em organizar tudo, mas isso parece útil para projetos mais ambiciosos.

O recurso “Adicionar à linha do tempo” funciona com múltiplos arquivos. Você pode, por exemplo, selecionar um punhado de fotos e usar esse recurso para adicioná-las à linha do tempo no exato momento de início que desejar, além de configurar transições e/ou fades entre clipes. A ferramenta também oferece a opção de mudar a ordem dos arquivos, ou apenas misturá-los caso prefira a aleatoriedade. Essa ferramenta seria bem útil para criar vídeos com fotos de família.

O OpenShot tem atalhos de teclado para avançar quadros, pausar etc. Eles oferece um controle poderoso da edição.

Uma coisa que o OpenShot faz muito bem, é a criação de “tiles”. Se você precisar colocar créditos no início ou no fim do vídeo, ou legendas em algum trecho, o OpenShot facilita muito as coisas. Quem tiver o Blender 2.56 instalado pode até criar tiles 3D animados.

O OpenShot 1.4.1 representa um progresso expressivo no front da edição de vídeos de código aberto. Ele ainda tem trabalho pela frente em termos de estabilidade, mas seu conjunto de recursos certamente é bom o bastante para a maioria dos usuários.

Criando e salvando um novo projeto

Comece criando um novo projeto. Para isso, clique no menu Arquivo, Salvar Projeto. Como podem notar, para criar um novo projeto, na verdade, há a opção no menu de Novo Projeto; porém, como não existe nenhum projeto aberto, então basta salvar o projeto atual.

Na janela que se abre, escolha apenas duas opções: o Nome do Projeto (Pode ser qualquer um) e a Pasta do Projeto (Escolha aonde salvar o projeto); logo em seguida clique em Salvar Projeto.


Adição de arquivos

Você pode adicionar “qualquer tipo de arquivo” e quantos quiser, clicando no botão que tem um sinal de mais (+). Geralmente importa-se arquivos do tipo imagem, áudio ou vídeo.

Obs.:

Quando são selecionadas várias imagens para serem importadas ao mesmo tempo, pode aparecer a seguinte mensagem: “Você gostaria de importar [NOME DA IMAGEM] como uma sequência de imagens”; nesse caso, escolha Não.

Adicione quantos arquivos achar necessário. Não precisa adicionar tudo de uma única vez, pode ser aos poucos, à medida que achar necessário.

(Arquivos importados)


Criação de títulos

Pré-requisito: Ter o Inkscape instalado

Existem algumas formas de criarem títulos (textos) para serem exibidos no vídeo, uns contendo títulos simples e títulos animados, outros de forma básica e forma avançada. Irei ensinar, porém, uma forma genérica, não tão simples – pois utiliza outro aplicativo – nem complexa, mas é válida para qualquer ocasião

Comece clicando no menu Título, Novo Título. Em Comece aqui, escolha a opção Standard 3 e logo em seguida cliquei em Criar novo Título. Escolha um nome qualquer – eu geralmente crio como 01, 02, 03… – e clique em OK, e, logo em seguida, em Aplicar.

Clique, agora, no botão Usar o Editor Avançado e espere o carregamento do aplicativo Inkscape, o qual será utilizado para criar os títulos de forma mais personalizável.

O Inkscape é um programa bem completo e até complexo, se comparado ao Corel Draw. O que o difere significativamente é pertencer ao mundo livre. Para este texto, será utilizado menos de 1% dos recursos disponíveis pelo software.

No lado esquerdo, possui diversas opções, e será utilizado somente duas que são: Seletor seta2 e a opção Texto texto2.

Explicação básica: Para selecionar o texto, clique (botão esquerdo) no canto superior (direito ou esquerdo), segure, arraste para a diagonal e solte.

Comece selecionando o texto atual e deletando-o. Após, clique na opção Texto texto Clique (botão esquerdo) dentro da folha (quadrado retangular branco) e escreva o texto que desejar. Em seguida aperte <CTRL+A> para selecionar todo o texto, e, caso queira, trocar a Fonte, Tamanho. Tudo isso e muito mais pode ser feito nas opções que encontram-se na parte superior do software. Mexa à vontade nas opções e deixe como desejar.

Feito isso, clique novamente na opção Seleção seta clique em cima do texto, segure (botão esquerdo) e arraste para o centro da folha.

Lembrando que a folha é a delimitação do que vai aparecer no vídeo, o que ficar fora dela será cortado.

Na parte inferior do programa existe uma paleta com cores, escolha uma para alterar a cor do texto atual.

Obs.:

Para realizar qualquer alteração, é preciso que o conteúdo a ser alterado esteja selecionado.

Depois de serem feitas as alterações, tecle <CTRL+S> para salvar o que foi feito, e, em seguida, feche o Inkscape.

O texto criado será incorporado no OpenShot, basta clicar em Aplicar.

No exemplo utilizado, foi escolhido uma cor cinza, por isso está quase imperceptível, mas como o fundo é preto, terá um bom contraste.


Criação do vídeo | Conhecendo as ferramentas

Na parte inferior do OpenShot encontram-se as trilhas, que contem as linhas de tempo ou de duração do vídeo. Essas trilhas são exatamente o lugar onde o vídeo será composto.

Entre as ferramentas existentes para a manipulação das trilhas, particularmente, utilizo cerca de duas ou três. Exemplificando as opções, temos:

  1. Adicionar Trilha add, serve para adicionar novas trilhas. Geralmente utiliza-se várias trilhas para separar arquivos de vídeos de imagem e de sons, colocando cada tipo de arquivo em uma trilha, facilitando, assim, sua manipulação;
  2. Ferramenta Seta, serve para manipular os arquivos, como arrastar, posicionar;
  3. Ferramenta Estilete, serve para cortar um arquivo em pedaços, como, por exemplo, remover uma parte de imagem, vídeo ou áudio;
  4. Ferramenta de Redimensionar, serve para esticar ou encolher um arquivo que foi adicionando na trilha, fazendo ampliar ou diminuir o tempo da sua duração.
  5. Ferramenta de Atração, serve para “grudar” um arquivo no outro, quando estão próximos, facilitando, dessa forma, a não precisão do posicionamento entre um arquivo e outro.

As próximas opções são: Adicionar Marcador, Marcador Anterior e Próximo Marcador. Servem basicamente para você marcar lugares nas trilhas e ir avançando ou retrocedendo para os marcadores adicionados, encontrando mais facilmente o lugar desejado. Nunca utilizei, mesmo porque só fiz vídeos pequenos até hoje. No entanto, para quem for utilizar vídeos grandes, pode ser muito útil.

Destaques da versão 1.4.1

  • Nova animação em 3D (texto wireframe)
  • Novos Títulos (ouro)
  • Efeitos novos (olho de peixe)
  • New Animation Presets
  • Suporte para Blender 2.6.X
  • Correções de localização (falhas seg, volume de áudio, efeitos de rotação)
  • Erros UI (ícones desaparecer usando alguns temas GTK)
  • Manual de Ajuda melhorado
  • Título UI melhorou (lista de fontes interativo)
  • Precisão melhorada (duração do clipe, o comprimento padrão de imagem)
  • Toneladas de correções de bugs! ver todos os relátorios de bugs

Montando o vídeo

No exemplo criado, será utilizado somente duas trilhas, uma para o título (texto) e imagens e outra para o vídeo – o qual será utilizado apenas o áudio.

Comece selecionando e segurando os arquivos que foram importados e arrastando-os para as trilhas.

Obs.:

Para adicionar vários arquivos de uma vez, mantenha a tecla <CTRL> pressionada e vá selecionando os arquivos, em seguida clique com o botão direito e escolha Adicionar à Linha do Tempo.

Na janela que se abre, você poderá configurar:

Em Tempo de início coloquei o tempo, em segundos, onde deseja que os arquivos comecem na linha do tempo. Em Desvanecer mude para Fade In & Out. A Duração, eu uso de 2 a 3 segundos, escolha um valor que te agrade e teste.

Nesse exemplo, as imagens e texto criado ficarão na trilha 2 e o arquivo de vídeo na trilha 1.

Dica:

Cada arquivo adicionado na trilha possui duas opções visíveis, um ícone de “olho” olho que se refere à imagem e outro de som som ue se refere ao áudio. Clicando em cima desses você pode ativar ou desativar o som ou imagem de cada um.

Clicando com o botão direito em cada arquivo da trilha você tem acesso a várias opções; sendo a Propriedade uma das mais interessante, pois engloba quase tudo que pode ser feito com o arquivo escolhido para ser editado.

Obs.:

Não esqueça: à medida que o projeto avança salve-o, passo a passo.

Ao lado, direto, possui uma visualização – contendo controles comuns logo abaixo – do que está sendo feito e você poderá executar na hora que achar necessário, em tempo de trabalho, para ver se o vídeo está do jeito esperado.

Exportando o vídeo

Finalizado a criação do vídeo, chegou a hora de exportá-lo para um formato a ser visualizado pelos reprodutores de vídeos. O OpenShot lhe fornece uma gama enorme de exportações e também inclui alguns perfis prontos, muito úteis por sinal.

Para exportar o seu projeto, cliquei no ícone Exportar Vídeo salvar e escolha em Perfil: Páginas Web, o qual permite uma boa qualidade atrelado a um bom tamanho. Como já foi definido, anteriormente: há um local onde o projeto foi salvo e com um título, você não precisará se preocupar onde salvar o vídeo – apenas se quiser salvar em outro local e com outro nome –, bastando apenas clicar em Exportar Vídeo e aguardar sua finalização.


Considerações finais

Como dissera, o objetivo aqui proposto foi o de criar um vídeo de maneira simples e rápida. Pode-se notar que o programa, OpenShot, dispõe de dezenas de efeitos e transações, os quais nenhum foi utilizado. O programa é bem simples de utilizar e com a prática tudo fica mais fácil ainda. Tente explorar mais as funcionalidades dessa ferramenta e descobrirá, consequentemente, novos recursos. Assim você poderá fazer um ou mais vídeos bem mais elaborados e complexos. Use e desfrute de sua criatividade.

Referências

Editado da matéria traduzida e postada Roberto Bechtlufft no Guia do Hardware. Matéria completa, incluindo os comentários do editor original aqui.

openshot.txt · Última modificação: 2012/04/14 02:54 (edição externa)