Ferramentas do usuário

Ferramentas do site


libreoffice

Essa é uma revisão anterior do documento!


LibreOffice

História

O LibreOffice é um fork1) do OpenOffice, criado em setembro de 2010 pela comunidade de voluntários que, originalmente, desenvolvia e promovia o OpenOffice.org. Isso ocorreu depois de 10 anos de sucesso com a Sun Microsystems como fundadora e principal patrocinadora do projeto original. Para manter o novo projeto, foi criada a fundação independente “The Document Foundation” (www.documentfoundation.org/).

O desenvolvimento do LibreOffice conta com apoio de gigantes da Tecnologia da Informação, como a Canonical (responsável pelo desenvolvimento e distribuição do Ubuntu), Google, Novell, Red Hat e Open Source Initiative. Conta também com a participação ativa (cuidando da tradução, dicionários e outros itens de localização) da equipe da extinta Associação BrOffice.org – Projeto Brasil, que, em 17 de março de 2011, em assembléia, decidiu pela extinção do grupo, abraçando incondicionalmente o LibreOffice.

O desenvolvimento do OpenOffice já estava prejudicado e, com a venda da Sun à Oracle, as coisas tornaram-se mais complicadas. Desta forma, os desenvolvedores do OpenOffice que trabalhavam na Sun, resolveram criar o fork aberto à comunidade para que o projeto não corresse o risco de acabar. A intenção, então, ao criá-lo, é a de dar mais abertura ao projeto, aceitando a contribuição da comunidade, uma vez que, nas mãos da Sun/Oracle, o projeto andava a passos lentos e quase não aceitando contribuições vindas de fora destas empresas. Pouco tempo depois, toda antiga aquipe de desenvolvimento do LibreOffice foi "convidada" a se desligar da Sun.

Em 25 de janeiro de 2011, depois de quatro meses de desenvolvimento, envolvendo uma equipe com mais de cem pessoas, e quatro Release Candidates, a Document Foundation anunciou a versão final do LibreOffice 3.3, licenciada sob a GNU LGPL versão 3, disponível para Linux (32 bits e 64 bits em pacotes deb e rpm), para Windows e Mac OS X (Intel e PPC). Em 23 de fevereiro de 2011, The Document Foundation anunciou o LibreOffice 3.3.1, o primeiro micro-lançamento do pacote de escritório livre. A “nova versão” trouxe melhorias na estabilidade, eliminou vários problemas que afetavam as versões para Linux, Windows e MacOS X e incluia atualizações de vários pacotes de idiomas, além de melhorar sua identidade estética, com o lançamento de um novo conjunto de ícones, mais de acordo com a marca do projeto. tecnologia.ig.com.br_imagens_122_122_21_8669426.libreoffice_152_480.jpg

Instalação

A partir da versão 11 (Katya), o Linux Mint já vem com o LibreOffice instalado. Para versões anteriores, usa-se o descrito a seguir.

Antes de mais nada, pelo terminal, remova qualquer suíte de escritório instalada, usando o comando (digite sua senha de administrador quando solicitado):

⇒ Se tiver o OpenOffice instalado:

 sudo apt-get --purge remove openoffice*

⇒ Se tiver instalado o BrOffice:

 sudo apt-get --purge remove broffice*

Método 1

Se tiver uma versão anterior do LibreOffice, que não instalou via PPA, remova-a com o comando:

  sudo apt-get --purge remove libreoffice*

Adicione o PPA do LibreOffice:

  sudo add-apt-repository ppa:libreoffice/ppa && sudo apt-get update

Depois, instale os pacotes:

⇒ Para usuários do Gnome:

  sudo apt-get install libreoffice-gnome libreoffice

⇒ Para usuários do KDE:

  sudo apt-get install libreoffice-kde libreoffice

Depois:

  sudo apt-get install language-support-writing-pt
  sudo apt-get install libreoffice-help-pt-br libreoffice-l10n-pt-br
  sudo apt-get install libreoffice-java-common

Se você já tem uma versão anterior do LibreOffice instalada pelo PPA, não necessitará desinstalá-la e proceder com este processo de instalação. Apenas faça a atualização.

Método 2

Se não tem o PPA adicionado e não quer adicionar, baixe o LibreOffice daqui, escolhendo o sistema operacional e o idioma. Três pacotes deverão ser baixados. Neste exemplo de instalação, usaremos sistema de 32bits.

Após baixar os arquivos com os pacotes de instalação, localize-os (estarão, certamente, na pasta “Downloads”) e, se preferir, transfira-os para uma pasta à escolha. Faça a “descompactação” dos arquivos, clicando com o direito do mouse e selecionando “Extrair aqui”. Dentro de cada um dos novos diretórios originados pela descompactação, haverá um subdiretório de nome “DEBS”. Nesse subdiretório, estão os executáveis para instalação.

Para seguir com a instalação, os subdiretórios “DEBS”, um a um, devem ser abertos em um terminal, clicando-se neles com o direito do mouse e selecionando-se “Abrir num terminal”. Se o Nautilus Elementary estiver instalado, basta acessar os subdiretórios “DEBS” e clicar F7.

Prossiga com a instalação na seguinte ordem: (Os asteriscos substituirão parte dos nome das pastas, que mudarão conforme a versão a ser instalada) 1º] Subdiretório DEBS do diretório LibO_*_Linux_x86_install-deb_en-US. Ignore a pasta “desktop-integration” por enquanto; No terminal, digite:

  sudo dpkg -i *.deb

(Este processo de instalação deve ser repetido em cada um dos subdiretórios DEBS) 2º] Subdiretório DEBS do diretório LibO_*_Linux_x86_langpack-deb_pt-BR; 3º] Subdiretório DEBS do diretório LibO_*_Linux_x86_helppack-deb_pt-BR; 4º] Pasta “desktop-integration”, dentro do subdiretório DEBS do diretório LibO_*_Linux_x86_install-deb_en-US.

Pronto. Os vários aplicativos do LibreOffice podem ser acessados agora pelo MintMenu em Aplicativos ⇒ Escritório.

LibreOffice Portável

Versões para levar para qualquer lugar, num pendrive ou noutro dispositivo portátil.

Download

Utilização

  • Em máquinas Linux: Basta alterar a permissão do aplicativo para “executável”, clicando com o direito sobre ele e, nas propriedades, em permissão, marcar “Executar como aplicativo”. Depois, é só clicar com o esquerdo para executar.
  • Em máquinas Windows: É só instalar no próprio pendrive de forma habitual (clicando no arquivo .exe) e, na pasta gerada na “instalação”, clicar no executável “LibreOffice.exe” para rodar. Para instalar no pendrive, indique ao sistema o caminho do mesmo, quando o instalador perguntar onde instalar.

Referências

Comentários Adicionais

  • Créditos pelo “Método 2” de instalação ao Moderador Marco.
  • No artigo, há vários links com informações adicionais. Pouse o cursor sobre os trechos em negrito para poder reconhecê-los.
1) Fork: Projeto novo, iniciado a partir do código de um projeto já existente.
libreoffice.1314068573.txt.gz · Última modificação: 2012/04/14 02:54 (edição externa)