Pendrive: Cuidado ao usar o gravador de imagem do Linux

editado 28 de abril em Café com Menta
Já é a segunda vez que acontece isso usando um gravador de imagem Linux no pendrive de 16GB. A primeira vez foi com o do Fedora e ontem com o do Mint. Ele faz uma alteração na tabela de partição do HD que depois, para normalizar dá um trabalho do cão.

O que foi planejado: Gravar uma imagem do Mint LMDE para instalação. Fiz usando o Rufus pelo Windows 10 onde sempre funcionou.

O que ocorreu: Fiz a instalação do Fedora e estava usando normalmente só que ao particionar usei o padrão sugerido pelo Fedora ou seja, LVM. Depois instalei o Mint sob o mesmo sistema. Mas eu queria mais controle sobre as minhas partições pois no LVM fica difícil, pelo menos para mim, achar quem é quem no meio daquele bolo e eu queria partições distintas e visualizadas. Li sobre o LVM e pelo que dizem, ele é mais focado quando se deseja um sistema redundante de dados ou seja, não é o caso do usuário padrão desktop.

O problema: Como o Fedora me deu um trabalhinho quando o instalei depois do Mint, resolvi instalá-lo primeiro. Aproveitei que estava nele e usei o criador de midia USB dele. Achei que faria como o Rufus faz, mas depois vi que não foi bem assim. Criei a midia do Mint no pendrive, removi todas as partições do HD (LVM, ext4 e fat16) e instalei o Mint 18.1 no HD no modo EFI.
Precisei do pendrive para ver filme na TV e não tinha espaço disponivel. Estava como 3,9GB. Usei o gerenciador de discos do Windows mas não habilitava a exclusão das partições criadas pelo gravador de midias do Fedora, estava com três. Entrei pelo mint, usei o gparted e começou a aparecer uma mensagem que nunca havia visto "The driver descriptor says the physical block size is 2048 bytes, but Linux says that it is 512 bytes. Fui dando ignorar mas daí o gparted não excluia uma das partições fat. E o pessoal na sala esperando. Dei boot pelo Windows novamente e desta vez teve acesso para excluir as partições. Resolvido o problema.

Another brick on the wall: Depois de um mês mais ou menos, precisei usar o Mint num notebook de um amigo pois o mesmo parecia ter problemas no HD. Usei o ruffus para criar o pendrive bootável do Mint LMDE e fiz os procedimentos. Como já estava com a mão na massa, resolvi mudar meu MInt de 18.1 para o LMDE. Fui na minha máquina e não conseguia inicializar o Mint, sempre caia nas opções dos sistemas já instalados e não inicializava com ISOs Linux, dando erro de que não achava o sistema, isso no modo UFI, no modo legacy nem fazia nada ou então iniciava a midia mas não habilitava o mouse nem teclado, ficavam apagados. Entrei pelo Mint 18 e gravei novamente a ISO pelo gravador de ISO em USB do Mint. Tentei novamente dar boot pelo pen e mesma coisa.

BIOS: a única coisa diferente que havia feito neste espaço de tempo foi atualizar a BIOS. Mas o que estaria acontecendo? Depois de mudar uma coisa aqui e outra ali, que eu tinha certeza de não influir em outras, descobri que era a opção da IOMMU que estava desabilitada. Habilitei e o pendrive voltou a dar boot do Mint.

Repeteco: Precisei usar o pendrive ontem na TV e novamente o mesmo problema de espaço insuficiente. Como não faço relatório de problemas aparentemente isolados, apanhei tudo novamente para resolver.

Se alguém souber de alguma configuração onde eu possa resolver isso, agradeço.
Post edited by lcquerido on
·
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.