UEFI: Uma explanação para lá de complexa.

editado 19 de abril em Café com Menta
Pesquisando uma forma de entender a relação entre grub, grub-efi, efibootmgr e etc, tanto usando termos em inglês quanto em português (complicado quando você não tem ideia do que realmente definir na busca, mas...) me deparei com este link.

Eu li de cabo a rabo e, sei lá, não sei se foi uma tradução, se o cara é que não é didático, só sei que algumas coisas até deu para entender, mas a maioria me deu tilt (se nunca jogou fliperama, não vai entender).

Se alguém entender completamente, convido para um brainstorm para que eu possa montar um tutorial de como manipular as informações da EFI. Para remover e alterar a ordem tem alguns, mas para renomear a entrada, só vi um numa página de Apple (forum) e o cara diz para remover a entrada e criar uma nova com o nome que quer.

Segue o link:

http://www.aprigiosimoes.com.br/2013/05/30/uefi/
Post edited by lcquerido on
·

Comentários

  • editado 19 de abril
    Bem, estou relendo novamente com calma e pesquisando alguns termos para tentar tornar a coisa mais palatável. Quando tiver terminado, coloco aqui e pedirei a ajuda de vocês para as devidas correções e ajustes.

    Abraços
    Post edited by lcquerido on
    ·
  • Francis disse:
    Este dá vontade de imprimir e ler antes de dormir.

    Obrigado Francis! Sugiro colocar em algum tópico do fórum, caso ainda não esteja.
    ·
  • "anos atrás, afirmava-se que alguns computadores com sistemas UEFI não aceitavam a instalação do Linux. Mas o fato é que o Linux apenas não suportava o UEFI "
    Gente! Eu já vi muita gente dizendo que havia uma conspiração para que não fosse instalado o Linux! E eu acreditei.
    ·
  • lcquerido disse:

    "anos atrás, afirmava-se que alguns computadores com sistemas UEFI não aceitavam a instalação do Linux. Mas o fato é que o Linux apenas não suportava o UEFI "
    Gente! Eu já vi muita gente dizendo que havia uma conspiração para que não fosse instalado o Linux! E eu acreditei.

    Meu Mint instalado em placa UEFI sem nenhum problema.




    ·
  • "Ain...para usar Linux tem que usar a linha de comando..."
    Tá, beleza...mas se seu Windows der problema e não conseguir carregar, então meu filho, babau, vai ter que usar linha de comando sim.

    Vamos para os fatos. Existe o usuário comum, aquele que compra o carro porque achou legal, não lê o manual, na verdade não quer saber de nada do carro, só quer dirigir. Alguns até trocam o pneu quando fura, outros nem fazem revisão fora da garantia. Pois bem, usuário de computador também é assim.

    Existem aqueles que querem algo mais, querem resolver seus problemas no PC, afinal, não deve ser tão difícil assim. Eu estou nesta categoria e não vejo problemas nisso. Tento repassar o que aprendi com erros ou não para quem está iniciando nesse meio. Mas deixemos de historinha de consolação e vamos lá.

    Ontem vi que havia uma atualização da minha BIOS pelo sistema e aceitei atualizar. Foi tudo muito bem até o momento de reiniciar a máquina. Daí não entrou no Windows e não apareceu a opção dos meus Linux quando pressionado o F12. Pensei: Tofu.

    Entrei na BIOS para ver o que tinha mudado no boot, e vi que as EFIs estavam habilitadas e não os Legacy. Será isso? Bem, mudei pra LEgacy e o WIndows carregou. Beleza. Agora é só descobrir o que aconteceu com meus Linux. E a aula de EFI do nosso amigo Francis caiu como uma luva. Agora, porque raios meu Windows não entra com UEFI? Daí começa a peregrinação, até que achei um passo a passo para restaurar a partição EFI. O problema é que pelo gerenciador de discos, não tinha nenhuma partição EFI no SSD do Windows (dos Linux tinha, mas depois a gente fala sobre). Não sei por que mas devo ter apagado a partição EFI por engano (ignorância na verdade). E não foi só isso, numa tentativa de instalar o freeBSD, havia perdido a inicialização do Windows e usei um passo a passo de como recuperar a MBR. E a besta quadrada aqui nem sabia que o sistema do W10 já era EFI. O que aconteceu? Ele reparou a inicialização mudando o formato GPT para MBR. E agora? Agora, com os devidos conhecimentos do que é um e outro, vamos procurar uma solução.
    Google:"Como recuperar a partição EFI". Segui o passo a passo onde resumindo é usar o diskpart pela midia de instalação, subtrair 100MB da partição onde está o Windows, criar a partição EFI e por fim, instalar o boot EFI. O problema eu só vi no final quando ao tentar criar o boot EFI, o prompt disse: Não é possível criar em partição MBR.
    Google: "Com converter MBR para EFI sem perda de dados"
    De novo, linha de comando e diskpart e mais uns comandos e depois pede para reiniciar e mudar a BIOS para EFI. Aproveitei e deixei sem legacy, só cm EFI, já que agora não há mais sistema em MBR. Meu Windows entrou e agora só falta saber a parte dos linux. (depois eu coloco aqui pois hj é dia de faxina e daqui uns minutos vou ter que parar de escrever).

    E quero também entender como e quem passa estas informações para a BIOS pois não achei como entrar no shell da minha American Megatrends que veio na minha Gigabyte.
    Até daqui a pouco.
    ·
  • Agora descobri que andam instalando Linux de forma errada pois EFI e Grub não são compatíveis ou seja, Tem gente mais perdido que cego em tiroteio.
    ·
  • Uffa, consegui, já estou com meus Linux entrando. Configurei a EFI para tudo (sem legacy) e tentei entrar no HD dos linux. Entrou o Fedora e só aparecia ele. Beleza, se eu encontrasse um tuto ensinando a recuperar a EFI do Fedora, ele iria levar junto o Mint. Lógica correta e funcionou usando este passo a passo aqui: https://www.blogopcaolinux.com.br/2017/11/Como-restaurar-ou-recuperar-o-GRUB-do-Fedora.html
    tags que usei para busca: efi fedora recuperar.
    Lembrando que não usei uma live ou seja, não precisei seguir os passos de montagem chroot e etc. Apenas entrei no terminal e digitei sudo grub2-mkconfig -o /boot/efi/EFI/fedora/grub.cfg e mais nada!

    Tá, agora seguindo a mesma lógica, se eu fizer o mesmo procedimento no Mint já carregado, deverá aparecer a opção no boot também, certo? Deixo aqui a pergunta em aberto pois não vou fazer isso hoje.
    Mas a lógica diz que sim.
    ·
  • @lcquerido o grub é compatível com EFI, o grub-efi mais precisamente. A versão anterior que era voltada para o boot legacy é que não é compatível com EFI.
    A primeira vez que fui instalar usando o modo EFI sofri muito e errei bastante até pegar a manha.
    O meu primeiro erro foi tentar instalar sem desativar o secure boot e sem formatar a tabela de partição para o formato GPT.

    ·
  • editado 21 de abril
    Alquintela disse:

    @lcquerido o grub é compatível com EFI, o grub-efi mais precisamente. A versão anterior que era voltada para o boot legacy é que não é compatível com EFI.
    .

    Então Alquintela, conforme neste link https://unixuniverse.com.br/linux/bios-uefi que o Francis passou "rEFInd: Caso você utilize por padrão o GRUB2 com o BURG como gestor de boot e pensou em usar ele para gerenciar seu recém formatado PC em UEFI, saiba que o BURG não suporta UEFI e o GRUB2 já está tecnicamente obsoleto apesar de suportar o UEFI"
    Alquintela disse:

    A primeira vez que fui instalar usando o modo EFI sofri muito e errei bastante até pegar a manha.

    O meu primeiro erro foi tentar instalar sem desativar o secure boot e sem formatar a tabela de partição para o formato GPT

    E eu que nem sabia o que era GPT pois, depois de um tempo sem mexer com instalações, você não acompanha as coisas. Aliás o mesmo ocorre agora com o LVM. Até pouco tempo atrás os padrões de formatação eram Ext2, Ext3, Ext4, btrfs, ReiserFS e cada neguinho dizendo que usa este ou aquele por isso e aquele outro. Daí eu parei no ext4 e fiquei por achar que as outras ou era modismo, ou ainda não tinham decidido (implementado) qual seria melhor. Inclusive sobre o btrfs (que o openSuse usa) li neste link http://blog.welrbraga.eti.br/?p=3068 que é melhor por isso e ...bem, eu teria que fazer um curso de certificação em Linux... ;-).

    Daí para não bugar meu cérebro de 56 primaveras e não bagunçar mais ainda o HD com n tipos de partições, resolvi ficar somente nas distros com instalação lvm/ext4 e que ainda preciso entender porque precisa de uma ext4 (ia procurar logo apos escrever isto aqui.

    Nesse meio tempo, peço a ajuda dos universitários para entender o meu HD com Fedora e Mint. Segue imagens.







    A primeira é da minha pasta raiz. Notem que por estar usando LVM, aparece aí uma pasta luiz-fedora e que é a pasta Home lá do Fedora. A segunda é como está a partição do meu HD Linux. A EFI beleza, entendi, já a ext4 e LVM é que está pegando ou seja, onde estão as minhas pastas Mint e Fedora? Na LVM? A ext4 possui quais informações? Lembrando que quem criou estas partições foi o Fedora e depois instalei o Mint.

    Obrigado por enquanto.



    Post edited by lcquerido on
    ·
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.