Configurar o Linux Mint no PC novo

Sou tecnico em informatica, e ha anos que uso Windows, quero deixar de usar ele, e usar o Linux Mint, mais preciso de alguns programas do Windows para ajudar em meus trabalhos de manutenção de computadores.

Qual programa uso no Linux para desfragmentar HDs ligados em um Docking Station? No Windows uso Auslogics Disk Defrag

Qual antivirus eficiente uso no Linux para scanear HDs ligados em um Docking Station?

E como uso o SSD para o sistema e aplicativos e o HD para os arquivos, sem ter a necessidade de ficar montando o HD toda vez para salvar algo?
·
«1

Comentários

  • Posso responder em relação à sua questão sobre HD e SSD. Amigo, para instalar o sistema e aplicativos no SSD e o HD reservado para arquivos ou /home é bem simples. Proceda a instalação no modo UEFI com partições em formato GPT e depois prossiga a instação do Linux Mint.

    No meu caso fiz assim:

    Passo 1: Desativar o Secure Boot no BIOS caso esteja habilitado. No meu caso utilizando o ultrabook Acer M5 não precisei desabilitar. Outro ponto importante, como se deseja instalar o sistema em modo UEFI, então [b]não se deve alterar[/b] para o modo Legacy, apenas desabilitar o Secure Boot.

    Passo 2: Ainda no setup do BIOS altere a ordem do boot para o dispositivo USB no qual a imagem foi previamente instalada do Linux Mint . Dê F10 e salve as alterações.

    Passo 3: Quando iniciar a Live Session do Mint, abra o Gparted e crie as partições necessárias para instalação do sistema. Fiz assim: HDD (500Gb) = sda1 4Gb linux-swap; sda2 496Gb ext4 – SSD (20Gb) = sdb1 200Mb FAT32; sdb2 19,8Gb ext4.

    Obs: as partições de ambos os dispositivos (SSD e HDD) devem ser criadas em formato GPT, pois o boot no modo UEFI não funciona no padrão anterior (MBR) que é próprio para o boot em modo Legacy.

    Passo 4: Inicie enfim a instalação do sistema e escolha a opção de instalação avançada. Deste modo, no HDD marque a partição sda1 como Swap e a partição sda2 como /home. No SSD, marque a partição sdb1 como partição de inicialização EFI e a partição sdb2 como /

    Obs: não esquecer de mandar o sistema instalar o GRUB na partição sdb1


    Instalando assim nunca tive este problema que você relata de precisar ficar montando o HD quando for salvar algo.

    ·
  • Mario disse:


    Qual programa uso no Linux para desfragmentar HDs ligados em um Docking Station? No Windows uso Auslogics Disk Defrag

    Não há necessidade de desfragmentar HDs no Linux. Maiores informações no link abaixo:
    http://www.diolinux.com.br/2014/02/por-que-linux-nao-precisa-desfragmentar-discos.html
    Mario disse:


    Qual antivirus eficiente uso no Linux para scanear HDs ligados em um Docking Station?

    Não há necessidade de antivírus no pinguim. Entretanto, se quer utilizar algum AV porque também utiliza os HDs em PCs com Windows, aqui estão algumas boas opções:
    http://www.diolinux.com.br/2015/07/os-5-melhores-antivirus-para-linux.html
    ·
  • MarioMario Mario
    editado abril de 2017
    hugoleal85 disse:

    Mario disse:


    Qual programa uso no Linux para desfragmentar HDs ligados em um Docking Station? No Windows uso Auslogics Disk Defrag

    Não há necessidade de desfragmentar HDs no Linux. Maiores informações no link abaixo:
    http://www.diolinux.com.br/2014/02/por-que-linux-nao-precisa-desfragmentar-discos.html
    Mario disse:


    Qual antivirus eficiente uso no Linux para scanear HDs ligados em um Docking Station?

    Não há necessidade de antivírus no pinguim. Entretanto, se quer utilizar algum AV porque também utiliza os HDs em PCs com Windows, aqui estão algumas boas opções:
    http://www.diolinux.com.br/2015/07/os-5-melhores-antivirus-para-linux.html
    Voce nao entendeu a pergunta. Mais a questão do antivirus ajudou.

    Post edited by Mario on
    ·
  • MarioMario Mario
    editado abril de 2017
    Alquintela disse:

    Posso responder em relação à sua questão sobre HD e SSD. Amigo, para instalar o sistema e aplicativos no SSD e o HD reservado para arquivos ou /home é bem simples. Proceda a instalação no modo UEFI com partições em formato GPT e depois prossiga a instação do Linux Mint.

    No meu caso fiz assim:

    Passo 1: Desativar o Secure Boot no BIOS caso esteja habilitado. No meu caso utilizando o ultrabook Acer M5 não precisei desabilitar. Outro ponto importante, como se deseja instalar o sistema em modo UEFI, então [b]não se deve alterar[/b] para o modo Legacy, apenas desabilitar o Secure Boot.

    Passo 2: Ainda no setup do BIOS altere a ordem do boot para o dispositivo USB no qual a imagem foi previamente instalada do Linux Mint . Dê F10 e salve as alterações.

    Passo 3: Quando iniciar a Live Session do Mint, abra o Gparted e crie as partições necessárias para instalação do sistema. Fiz assim: HDD (500Gb) = sda1 4Gb linux-swap; sda2 496Gb ext4 – SSD (20Gb) = sdb1 200Mb FAT32; sdb2 19,8Gb ext4.

    Obs: as partições de ambos os dispositivos (SSD e HDD) devem ser criadas em formato GPT, pois o boot no modo UEFI não funciona no padrão anterior (MBR) que é próprio para o boot em modo Legacy.

    Passo 4: Inicie enfim a instalação do sistema e escolha a opção de instalação avançada. Deste modo, no HDD marque a partição sda1 como Swap e a partição sda2 como /home. No SSD, marque a partição sdb1 como partição de inicialização EFI e a partição sdb2 como /

    Obs: não esquecer de mandar o sistema instalar o GRUB na partição sdb1


    Instalando assim nunca tive este problema que você relata de precisar ficar montando o HD quando for salvar algo.

    Ok, minha placa mãe vai ser mATX GA-B85M-D3PH

    E voce sabe algum programa para desfragmentar partição do Windows ligado em um Docking Station?
    Post edited by Mario on
    ·
  • editado abril de 2017
    Mario disse:

    Alquintela disse:

    Posso responder em relação à sua questão sobre HD e SSD. Amigo, para instalar o sistema e aplicativos no SSD e o HD reservado para arquivos ou /home é bem simples. Proceda a instalação no modo UEFI com partições em formato GPT e depois prossiga a instação do Linux Mint.

    No meu caso fiz assim:

    Passo 1: Desativar o Secure Boot no BIOS caso esteja habilitado. No meu caso utilizando o ultrabook Acer M5 não precisei desabilitar. Outro ponto importante, como se deseja instalar o sistema em modo UEFI, então [b]não se deve alterar[/b] para o modo Legacy, apenas desabilitar o Secure Boot.

    Passo 2: Ainda no setup do BIOS altere a ordem do boot para o dispositivo USB no qual a imagem foi previamente instalada do Linux Mint . Dê F10 e salve as alterações.

    Passo 3: Quando iniciar a Live Session do Mint, abra o Gparted e crie as partições necessárias para instalação do sistema. Fiz assim: HDD (500Gb) = sda1 4Gb linux-swap; sda2 496Gb ext4 – SSD (20Gb) = sdb1 200Mb FAT32; sdb2 19,8Gb ext4.

    Obs: as partições de ambos os dispositivos (SSD e HDD) devem ser criadas em formato GPT, pois o boot no modo UEFI não funciona no padrão anterior (MBR) que é próprio para o boot em modo Legacy.

    Passo 4: Inicie enfim a instalação do sistema e escolha a opção de instalação avançada. Deste modo, no HDD marque a partição sda1 como Swap e a partição sda2 como /home. No SSD, marque a partição sdb1 como partição de inicialização EFI e a partição sdb2 como /

    Obs: não esquecer de mandar o sistema instalar o GRUB na partição sdb1


    Instalando assim nunca tive este problema que você relata de precisar ficar montando o HD quando for salvar algo.

    Ok, minha placa mãe vai ser mATX GA-B85M-D3PH

    E voce sabe algum programa para desfragmentar partição do Windows ligado em um Docking Station?
    Nunca realizei a desfragmentação de partição do Windows pelo Linux, mas este tutorial ensina como realizá-la através do terminal por meio do programa fsck

    Eis o tutorial: http://www.ehow.com.br/desfragmentar-ntfs-linux-como_79136/
    Post edited by Alquintela on

    ·
  • Mario disse:

    Alquintela disse:

    Posso responder em relação à sua questão sobre HD e SSD. Amigo, para instalar o sistema e aplicativos no SSD e o HD reservado para arquivos ou /home é bem simples. Proceda a instalação no modo UEFI com partições em formato GPT e depois prossiga a instação do Linux Mint.

    No meu caso fiz assim:

    Passo 1: Desativar o Secure Boot no BIOS caso esteja habilitado. No meu caso utilizando o ultrabook Acer M5 não precisei desabilitar. Outro ponto importante, como se deseja instalar o sistema em modo UEFI, então [b]não se deve alterar[/b] para o modo Legacy, apenas desabilitar o Secure Boot.

    Passo 2: Ainda no setup do BIOS altere a ordem do boot para o dispositivo USB no qual a imagem foi previamente instalada do Linux Mint . Dê F10 e salve as alterações.

    Passo 3: Quando iniciar a Live Session do Mint, abra o Gparted e crie as partições necessárias para instalação do sistema. Fiz assim: HDD (500Gb) = sda1 4Gb linux-swap; sda2 496Gb ext4 – SSD (20Gb) = sdb1 200Mb FAT32; sdb2 19,8Gb ext4.

    Obs: as partições de ambos os dispositivos (SSD e HDD) devem ser criadas em formato GPT, pois o boot no modo UEFI não funciona no padrão anterior (MBR) que é próprio para o boot em modo Legacy.

    Passo 4: Inicie enfim a instalação do sistema e escolha a opção de instalação avançada. Deste modo, no HDD marque a partição sda1 como Swap e a partição sda2 como /home. No SSD, marque a partição sdb1 como partição de inicialização EFI e a partição sdb2 como /

    Obs: não esquecer de mandar o sistema instalar o GRUB na partição sdb1


    Instalando assim nunca tive este problema que você relata de precisar ficar montando o HD quando for salvar algo.

    Ok, minha placa mãe vai ser mATX GA-B85M-D3PH

    E voce sabe algum programa para desfragmentar partição do Windows ligado em um Docking Station?
    No passo 3, faz essa configuração desse trecho abaixo ?

    O ideal não é realmente você utilizar a SWAP em um SSD, afinal, ela costuma estar em constante atividade, mas mesmo que estivesse funcionando, dificilmente o valor que ela emprega iria afetar de forma muito significativa a vida útil de um SSD, no entanto, você mesmo assim pode não querer desperdiçar um bit se quer, neste caso você, ao menos no Linux, pode utilizar a solução que eu utilizei.

    Ao invés de utilizar a memória SWAP em disco de forma tradicional, eu utilizo o ZRAM, que joga a área de troca para um bloco comprimido na memória RAM, isso faz com que o SSD não seja afetado e ainda assim eu tenha uma SWAP funcional e até mais rápida, porém ela fica alojada na memória e não no disco ou SSD. Fonte: http://www.diolinux.com.br/2016/12/ssd-no-ubuntu-ssd-com-swap.html
    ·
  • hugoleal85 disse:

    Mario disse:


    Qual programa uso no Linux para desfragmentar HDs ligados em um Docking Station? No Windows uso Auslogics Disk Defrag

    Não há necessidade de desfragmentar HDs no Linux. Maiores informações no link abaixo:
    http://www.diolinux.com.br/2014/02/por-que-linux-nao-precisa-desfragmentar-discos.html
    Mario disse:


    Qual antivirus eficiente uso no Linux para scanear HDs ligados em um Docking Station?

    Não há necessidade de antivírus no pinguim. Entretanto, se quer utilizar algum AV porque também utiliza os HDs em PCs com Windows, aqui estão algumas boas opções:
    http://www.diolinux.com.br/2015/07/os-5-melhores-antivirus-para-linux.html
    A versão atual do Sistema ja vem ativado o TRIM para o SSD?
    ·
  • Mario disse:

    hugoleal85 disse:

    Mario disse:


    Qual programa uso no Linux para desfragmentar HDs ligados em um Docking Station? No Windows uso Auslogics Disk Defrag

    Não há necessidade de desfragmentar HDs no Linux. Maiores informações no link abaixo:
    http://www.diolinux.com.br/2014/02/por-que-linux-nao-precisa-desfragmentar-discos.html
    Mario disse:


    Qual antivirus eficiente uso no Linux para scanear HDs ligados em um Docking Station?

    Não há necessidade de antivírus no pinguim. Entretanto, se quer utilizar algum AV porque também utiliza os HDs em PCs com Windows, aqui estão algumas boas opções:
    http://www.diolinux.com.br/2015/07/os-5-melhores-antivirus-para-linux.html
    A versão atual do Sistema ja vem ativado o TRIM para o SSD?
    Sim, já vem ativado por padrão.

    Maiores informações nos links abaixo:
    https://sites.google.com/site/easylinuxtipsproject/ssd
    https://forums.linuxmint.com/viewtopic.php?t=188150
    ·
  • hugoleal85 disse:

    Mario disse:

    hugoleal85 disse:

    Mario disse:


    Qual programa uso no Linux para desfragmentar HDs ligados em um Docking Station? No Windows uso Auslogics Disk Defrag

    Não há necessidade de desfragmentar HDs no Linux. Maiores informações no link abaixo:
    http://www.diolinux.com.br/2014/02/por-que-linux-nao-precisa-desfragmentar-discos.html
    Mario disse:


    Qual antivirus eficiente uso no Linux para scanear HDs ligados em um Docking Station?

    Não há necessidade de antivírus no pinguim. Entretanto, se quer utilizar algum AV porque também utiliza os HDs em PCs com Windows, aqui estão algumas boas opções:
    http://www.diolinux.com.br/2015/07/os-5-melhores-antivirus-para-linux.html
    A versão atual do Sistema ja vem ativado o TRIM para o SSD?
    Sim, já vem ativado por padrão.

    Maiores informações nos links abaixo:
    https://sites.google.com/site/easylinuxtipsproject/ssd
    https://forums.linuxmint.com/viewtopic.php?t=188150
    Devo fazer isso ou deixo normal, qual o melhor?

    O ideal não é realmente você utilizar a SWAP em um SSD, afinal, ela costuma estar em constante atividade, mas mesmo que estivesse funcionando, dificilmente o valor que ela emprega iria afetar de forma muito significativa a vida útil de um SSD, no entanto, você mesmo assim pode não querer desperdiçar um bit se quer, neste caso você, ao menos no Linux, pode utilizar a solução que eu utilizei.

    Ao invés de utilizar a memória SWAP em disco de forma tradicional, eu utilizo o ZRAM, que joga a área de troca para um bloco comprimido na memória RAM, isso faz com que o SSD não seja afetado e ainda assim eu tenha uma SWAP funcional e até mais rápida, porém ela fica alojada na memória e não no disco ou SSD. Fonte: http://www.diolinux.com.br/2016/12/ssd-no-ubuntu-ssd-com-swap.html
    ·
  • Como dito nos links que eu indiquei acima, o Trim do Mint (na configuração padrão) é executado apenas uma vez por semana. Se ainda assim achar que isso pode prejudicar o SSD, basta desativá-lo.

    Quanto a memória SWAP, de fato não é recomendado deixá-la ativa no SSD.
    ·
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.